Sobre a LAMBDA

A associação LAMBDA* (AL) é uma organização sem fins-lucrativos, fundada em 2006 cuja visão é uma sociedade onde as pessoas possam expressar livremente a sua orientação sexual e identidade de género sem serem discriminadas. Ela tem como missão liderar o movimento LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transsexuais) e mobilizar a sociedade tornando-a favorável a promoção e garantia dos direitos económicos, políticos e sociais dos cidadãos LGBT.

A AL estrutura-se da seguinte maneira; Assembleia Geral, órgão máximo da organização, Conselho de Administração, Conselho Fiscal e um Secretariado Executivo. Ela possui delegações nas províncias de Maputo, Sofala e Nampula e representações em Inhambane, Zambézia e Cabo-Delgado.

Com o fim a alcançar os seus objectivos a AL; a) estabelece ligações com as outras associações, organizações governamentais, não governamentais e privadas (nacionais ou internacionais); b) procura fazer-se representar junto das mesmas sempre que tal seja julgado necessário ou conveniente; c) advoga e promove políticas públicas inclusivas que garantam a igualdade de direitos de todos os cidadãos; e) promove acções e campanhas de informação, educação, sensibilização para combater todas as formas de discriminação com base na orientação sexual e identidade de género; f) organiza debates, palestras, conferências, saraus culturais, jornadas, exposições, cursos e outras formas de manifestação social e cultural h) promove acções de prevenção, cuidados, apoio e mitigação contra as ITS e HIV-SIDA i) contribui para a criação de programas de promoção da auto-estima, cidadania, democracia e defesa dos princípios constitucionais da República de Moçambique.

O sucesso da implementação das acções acima citadas só é possível através do envolvimento de indivíduos que partilham a visão da organização e que estejam dispostos a dar a sua contribuição. Tendo em conta este pressuposto, a LAMBDA de dois em dois anos abre espaço para recrutar novos membros.

Critério de Ilegibilidade (Quem pode se candidatar?)

As candidaturas estão abertas à todos os cidadãos moçambicanos maiores de vinte e um (21) anos, que compartilhem a visão da organização e queiram contribuir para o alcance dos seus objectivos.

Direitos e deveres do potencial membro

Direitos:

  • Participar nas iniciativas desenvolvidas pela AL;
  • Discutir e votar as deliberações da Assembleia Geral;
  • Requerer a convocação da Assembleia Geral extraordinária nos termos do número 4 do artigo 17o dos estatutos da AL;
  • Ter acesso aos documentos e informação referente ao exercício da actividade da AL;
  • Frequentar a sede, utilizando os serviços técnicos, administrativos operacionais ou logísticos disponibilizados aos associados nas condições que forem estabelecidas;
  • Exercer outros direitos e gozar de outras regalias estabelecidas pelos órgãos sociais no uso das suas competências;
  • Solicitar a intervenção da AL quando estejam em causa a defesa dos seus direitos conexos ao objecto da associação;

Deveres:

  • Observar e cumprir as disposições estatutárias e regulamentares e bem como quaisquer instruções emanadas pela AG;
  • Efectuar o pagamento regular das quotas (100,00Mtn/mês ou 1.200,00Mtn/ano);
  • Colaborar activamente na vida da AL cumprindo o mínimo anual de horas em trabalho voluntário estabelecido pelos órgãos competentes;
  • Tomar parte nas AG e reuniões para as quais tenham sido convocados segundo os termos e condições definidas;
  • Aceitar e desempenhar com zelo, assiduidade e subordinação os cargos para que sejam eleitos, nomeados ou designados;
  • Abster de praticar actos contrários aos objectivos prosseguidos pela AL.

Candidatura e Selecção (Como candidatar-se?)

  • Todos interessados deverão preencher a pdf ficha de inscrição (274 KB) , e submeter ao Conselho de Administração.
  • Após o preenchimento dos requisitos exigidos pela Associação Lambda (AL), o Conselho de Administração fará a sua apreciação, e far-se-á a deliberação do proponente e o convite formal ao potencial membro.
  • A admissão só se considerará efectiva com a consequente aquisição de todos os direitos e obrigações de associado, após pagamento da respectiva jóia (500,00Mtn).
  • Em caso de recusa de admissão, o Conselho de Administração deverá fundamentar a sua decisão por escrito.

 * em formação