Ser LGBT tem a ver com a orientação sexual e a identidade de género do indivíduo; ser imoral é outra coisa bastante subjectiva e relativa, isto é, é um juízo de valor que fazemos sobre o comportamento de outrem baseados em valores que aprendemos a ser os mais correctos, mas que variam de grupo para grupo e de tempos em tempos.


Cada indivíduo, ou grupo de indivíduos, tem a sua visão sobre o que é moral e imoral. Essa visão pode ser ou não partilhada por outros grupos, daí que não constituem verdades absolutas e universais. ex: umas pessoas podem achar que a poligamia é imoral, outras não. Esses juízos dependem de valores relativos, baseados em valores culturais, morais e crenças particulares a cada grupo, que podem mudar através da história.
As pessoas menos informadas e até preconceituosas muitas vezes rotulam os homossexuais como imorais com o objectivo de os rebaixarem e elevarem a sua própria posição moral perante estes. O importante é saber que opiniões pessoais e de grupos particulares não constituem factos universais e definitivos.


Saiba mais em  pdf
(235 KB)

Mitos-e-Factos(click na imagem para fazer download)